CONTRADIÇÕES DA CONQUISTA




       Os inimigos da reconstrução de acordo com o relato do livro de Neemias desferiram três golpes sobre aqueles que se embrenharam na fenda da brecha para tampa-la.

Os três ardis foram: "Guerra psicológica, Ameaças físicas e Desencorajamento".

Iº Guerra psicológica

      A Guerra psicológica tem haver com a destruição da moral. 

                         
                                 "Que fazem estes fracos judeus? “ Olhe que pobre grupo de                                    incompetentes eles são, permitir-se-lhe-á isso?” (Neemias 4,2)


       Ao que tudo indica a provocação era posto pelos conspiradores da reconstrução como um tarefa que estava para além da capacidade deles. 
Não dados por satisfeitos vociferavam “sacrificarão?” E afirmavam imaginam que por mágica ergue-se-á esses muros. Acaba-lo-ão num só dia?” Isto é, eles compreendem a enorme tarefa que abraçaram e quanto tempo ela tomará? Não têm a menor noção da realidade!) “vivificarão dos montões do pó as pedras que foram queimadas?”                         Não sabem que pedra queimada se esfarela?

      Aqui está a guerra psicológica? Na verdade, apenas os portões da cidade haviam sido queimados; os muros tinha simplesmente desmoronado. Então, a maioria das pedras não fora calcinada e poderia ser reutilizada; no verso 3 a pilharia continua (“vindo uma raposa, derrubara facilmente o muro de pedra”); estrategicamente, isto é com cálculo cuidadoso, Sambalate tocara na insegurança interna. O propósito de Sambalate era paralisar o esforço, por meio da indução ao desespero.

Neemias, porém estava imune ao impacto das palavras de sambalate .
O ataque foi perverso, o próprio Neemias sabia que seria um trabalho complicado e desanimador, porém o propósito de sambalate era desistimular o povo. E Sambalate sabia que ninguém continua sendo líder, se o povo não mais o segue;
Neemias em meio a essa guerra psicológica, atacado pelos inimigos e com o propósito de reerguer os muros para glória de Deus,ele foi orar, mais uma vez.

Sua oração cristaliza-se em um duplo rogo:

I. O rogo pelo amparo divino aos seus servos.
II. O rogo pelo julgamento divino sobre os inimigos. “que caia o seu opróbrio sobre a sua cabeça.Neemias não esta´ expressando vingança pessoal contra Sambalate e Tobias, mas Zelo por Deus, para que vingue a si mesmo contra eles, por se oporem ao senhor.

2º Ameaças físicas

       Ameaça de infiltração de guerrilha, “disseram os inimigos entremos no meio deles e os matemos; assim faremos cessar a obra. Em termos militares, isso era improvável, Neemias tinha por trás de si uma imponente autoridade de Artaxerxes.( Ne 4,8-11)
Neemias diante de tudo isto, motivou cada homem e transformou jerusalém num campo armado. Ele dividiu povo em dois grupos, um dos quais trabalharia, e o outro estaria de prontidão para lutar a qualquer momento.
Quando os inimigos souberam da preparação dos judeus, e que seu complô (ataque surpresa) fora frustrado, a pressão diminui e Neemias pode mandar os operários retomar aos muros.

Neemias fez três coisas que em longo prazo contribuiu para o êxito e sucesso do projeto.

Iº Ele conservou o povo em boa disposição, compartilhando constantemente a sua total confiança em Deus. 

                                        
                                      "Não os temais; lembrai-vos do Senhor, grande e terrível, e                                                       pelejai... O Nosso Deus pelejara por nós”.  (Neemias 4,14)

       Desse modo ele era uma constante inspiração e um incentivo moral, e este era um ministério de incalculável significado.

IIº desde o começo da crise, Neemias estava orando explicitamente pela proteção divina e animando outros a juntar-se a oração. “Nós [ toda comunidade ] oramos ao nosso Deus.( v.9). foi assim durante todo tempo em que durou a crise.

IIIº Neemias abraçou inteiramente a obra. Ne 4,23.


3º Desencorajamento Pessoal

Ne 4.10 “ Então, disse Judá: Já desfaleceram as forças dos acarretadores, e o pó é muito, e nós não poderemos edificar o muro. O Deus dos céus é que nos fará prosperar.(Ne 2,20)

“ Se você não perder a cabeça, enquanto todos á sua volta a estão perdendo ... você será um homem meu filho”, kipling.

 Aqueles que conhecem a Deus são capazes de manter a cabeça em condições de pânico, e o fazem por causa do que lhes está no coração. Não é apenas uma ortodoxia intelectual, mas uma paixão inquebratável e consumidora pela proximidade com o próprio Deus;
Neemias foi aquele homem que teve capacidade de comunicar esperança quanto todos perderam.


REFERÊNCIAS:

Packer, J. Neemias, Paixa pela fidelidade, Rio de Janeiro: CPAD, 2010. 

Paulo Mazarem
20 Out. 15.
Florianópolis

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALIMENTAÇÃO DOS TEMPOS BÍBLICOS

RESENHA DO FILME TERRA VERMELHA

RELIGIOSIDADE NA ERA PALEOLÍTICA/NEOLÍTICA