O METAMORFOSEAR DOS ÍNCUBUS E SÚCUBUS



 A crença em demônios era muito difundida no mundo antigo, e Santo Agostinho (354- 430), ficava enfurecido com os demônios nos quais ele acreditava existir. Naquela época, acreditava-se em duas espécies de demônios: incubus e súcubus.

Os incubus, segundo a tradição medieval ocidental, eram demônios na forma masculina que mantinham relações sexuais com mulheres enquanto elas dormiam. A palavra Íncubu vem de incubar, fazer germinar.

Já os súcubus eram demônios com gênero oposto, eram a forma feminina, uma espécie de ninfomaníaca que invadia o sonho dos homens, transfigurando-se no objeto de desejo masculino e causadora segundo o mito da polução noturna.

O súcubu ao dormir com o homem, poderia coletar o seu sêmen e então se transformar em íncubus para dormir com uma mulher, podendo inclusive engravidar a vitima, acredite se quiser mas eles naquele tempo, criam nisso.

Segundo os Padres, esses demônios, se incorporavam em bruxas e feiticeiras, e que induziam até eles mesmos, ao pecado do Sexo.

Para Agostinho, o bispo de Hipona, os demônios masculinos: incubus vinham do “ar”, para ter relações sexuais ilícitas com as mulheres. Muitas dessas mulheres seriam bruxas, a palavra Bruxa vem da expressão grega: “ brouchos”, que significa: larva da borboleta, ou seja: Seres dispostos a desabrochar, e a se transformar por dentro e por fora. 

Paulo Mazarem
Florianópolis
31 Out. 2011

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALIMENTAÇÃO DOS TEMPOS BÍBLICOS

RESENHA DO FILME TERRA VERMELHA

RELIGIOSIDADE NA ERA PALEOLÍTICA/NEOLÍTICA