INSTITUCIONALIZAÇÃO DA INIQUIDADE.








No antigo teatro grego os atores, para serem vistos pela numerosa e distante platéia, utilizavam-se de enormes MASCARAS, chamadas PERSONA, para atuarem em seus papéis. Se representavam uma tragédia, os traços delas eram horripilantes, se fossem comédias os traços eram hilariantes.

As emoções eram bem acintosas, para que não pairasse dúvida do que se passava no intimo daqueles a quem interpretavam. Nascia a Dissimulação, arte preferida dos que hoje atuam na Política e na Religião. Jesus nos seus dias arrancou as “Personas” dos fariseus, e da raposa chamada Herodes, hoje metáfora para esses “demagogos” que instrumentalizam a religião para atuarem na política. Fato ou teatro é a temática de minha reflexão, sei que minha fala pode ser ácida para os sensíveis e sentimentais, mas ela se faz necessária. Perceba que a demagogia no discurso político se imiscui cada vez mais na homilia religiosa.

Jesus disse cuidado com esses lobos que veem vestido até vós de ovelhas, eles hoje prometem mundos e fundos para amanhã depois “institucionalizar a iniquidade”. Institucionalizar a iniquidade é tornar legal o que é ilegal e contrário a palavra de Deus. Tais homens são oponentes de cristo e por isso “anticristos”, e são eles que amanha depois criarão dispositivos de coersão contra a Igreja. O judiciário só executa aquilo que o legislativo “cria”, pense nisso. É você quem elege aquele que amanhã pode criar uma lei.

Você vai eleger alguém que tem a palavra de Deus como paradigma, ou vai eleger alguém que amanha depois institucionalizara a iniquidade, um agente do mal, um anticristo. Anti-cristo significa "Alguém contrário a Cristo" pois esse é o seu significado. Os Anticristos (políticos atores) querem transformar os nossos púlpitos em palanques, nossos cultos em comícios e nossas igrejas em teatros, simplesmente para dissimular.

Querem enganar o povo de Deus com suas múltiplas “personas”, mas o pornô de suas demagogias e pretensões aparentemente satisfatórias já foram detectadas. Lincoln no século XIX, disse: ”Pode-se enganar algumas pessoas todo o tempo; Pode-se enganar todas as pessoas algum tempo; Mas não se pode enganar todas as pessoas o tempo todo”!

Querem institucionalizar a iniquidade pelas vias da dissimulação religiosa, da “persona” dos discursos de sedução. Mas o nosso Dever é expor o pornô da dissimulação e da teatralidade politiqueira e combater tudo o que se opõe a Cristo.

 Paulo Mazarem

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ALIMENTAÇÃO DOS TEMPOS BÍBLICOS

RESENHA DO FILME TERRA VERMELHA

RELIGIOSIDADE NA ERA PALEOLÍTICA/NEOLÍTICA