TOTALITARISMO, O QUE É MESMO?


       

       A politóloga Hannah Arendt mostra que o totalitarismo constitui uma forma inédita de regime político. Difere da simples tirania, na medida em que exige a politização das massas, através da aceitação de uma ideologia limitadora de toda a liberdade de pensamento. Assim, o Estado totalitário realiza uma fusão entre o povo e o seu chefe.         O seu núcleo é o lugar, onde a diferença entre os homens é completamente erradicada no seu próprio interior: o campo de concentração. Para evitar um sistema de natureza, devemos inspirar-nos nos fundamentos gregos do politico, na praça pública como lugar onde se exprime a diferença de opinião.

Regimes totalitários

Comunismo na União Soviética, Fascismo Italiano e o Nazismo-Alemão.

Argumento 1º 
Os regimes totalitários

       Surgem em contextos de crise, onde a população está insatisfeita e descontente com o atual regime. No caso da União soviética isso veio com a primeira guerra mundial, onde a Rússia estava perdendo várias batalhas e a população não queria mais aquele governo.
No caso da Itália veio logo a primeira guerra mundial e no caso alemão veio logo depois da crise de 29 que assolou os EUA e acabou se espalhando por toda Europa alcançando a América Latina.
Quando a Alemanha perdeu a primeira guerra mundial os outros países interviram em seu sistema e impuseram a ela uma república. A ilusão é que eles conseguiriam implantar a democracia impondo ela a Alemanha, e embora o tratado de Versalhes (1919) tenha sido muito punitivo sobre os alemães, principalmente por parte da França que queria vingança os EUA estavam dispostos a ajuda-los economicamente para evitar que eles caíssem em um regime baseado no ressentimento e na vingança, porém surgir a crise de 29 e os EUA não puderam cumprir com suas promessa.

Argumento 2º 
Líderes Carismáticos

    O totalitarismo se materializa por meio de um líder carismático que encarna a indignação e a revolta do povo, desprezando a democracia e depreciando tudo e todos ao seu redor.
A figura carismática instrumentaliza a propaganda e oratória para promover uma revolução e com isso segue sua proposta de mudar o mundo.

Argumento 3º
Ideologia da Superioridade

  O nazi-fascismo, por exemplo, foi uma doutrina política que surgiu e se desenvolveu, principalmente, na Itália e Alemanha entre o começo da década de 1920 até o final da Segunda Guerra Mundial.
Esta doutrina ganhou o nome de nazismo na Alemanha e teve como principal representante Adolf Hitler. Na Itália, ganhou o nome de fascismo e teve Benito Mussolini como líder.

Principais características do nazi-fascismo:

-Nacionalismo: valorização exacerbada da cultura, símbolos (bandeiras, hinos, heróis nacionais) e valores da nação.

- Xenofobia:  desconfiança, temor ou antipatia por pessoas estranhas ao meio daquele que as ajuíza, ou que é incomum ou vem fora do país. 

-Totalitarismo: concentração de poderes nas mãos do líder da nação. Falta total de democracia e liberdade. No sistema totalitário as pessoas devem seguir tudo que é determinado pelo governo. Os opositores são presos e, em muito casos, executados. 

-Militarismo: investimentos pesados no desenvolvimento e produção de armas. Além de proteção, os nazifascistas defendiam o uso deste poderio militar para fins de expansão territorial.

-Anticomunismo: os comunistas foram culpados pelos nazifascistas como sendo os grandes responsáveis pelos problemas sociais e econômicos existentes. Muitos comunistas foram perseguidos, presos e executados pelos nazifascistas da Alemanha e Itália.

-Anti-liberalismo: ao invés da liberdade econômica, defendiam o controle econômico por parte do governo. O governo deveria controlar a economia, visando o desenvolvimento da nação.

 -Romantismo: para os nazifascistas a razão não seria capaz de gerar o desenvolvimento de uma nação, mas sim o auto-sacrifício, as atitudes heroicas, o amor a pátria e a fé e dedicação incondicional ao líder político.

-Antissemitismo: atitudes de preconceito e violência contra judeus. De acordo com os seguidores do nazi-fascismo, os judeus eram, junto com os comunistas, os grandes responsáveis pelos problemas econômicos do mundo. Dentro deste pensamento, Hitler tentou eliminar os judeus durante a Segunda Guerra Mundial, matando-os em campos de concentração. Este evento ficou conhecido como Holocausto.

-Expansionismo: busca de expansão territorial através de invasões, ocupação e domínios de territórios de outros países. Para isso era necessário investir no setor bélico e promover guerras. Baseado neste ideal, a Alemanha Nazista invadiu a Polônia em 1939, dando início a Segunda Guerra Mundial. 

-Superioridade racial: linha de pensamento que defende a ideia de que algumas raças são mais desenvolvidas do que outras. Os nazistas, por exemplo, defendiam que os arianos (no caso homens brancos alemães) eram superiores às outras raças e, portanto, deveriam exercer a supremacia mundial.


UCRÂNIA

O Holodomor também é conhecido como holocausto ucraniano. O “Holocausto Ucraniano" é o nome atribuído à fome de carácter genocidário causado por Josef Stalin, no comando da URSS, que devastou principalmente o território da República Socialista Soviética da Ucrânia (integrada na URSS), durante os anos de 1932 - 1933. Este acontecimento — também conhecido por Grande Fome da Ucrânia — representou um dos mais trágicos capítulos da História da Ucrânia, devido ao enorme número de pessoas vítimas do bloqueio de alimentos feito por Stalin à Ucrânia.
O termo Holodomor deriva da expressão ucraniana 'Морити голодом' (moryty gholodom), tendo como raíz etimológica as palavras holod (fome) e moryty (matar através de privações, esfaimar), significando por isso "matar pela fome".

VITIMAS

       Apesar da existência de estimativas que vão de 1,5 a 10 milhões (outros  relatos como segue no link abaixo, apontam para 7 milhões) de vítimas ucranianas, os cálculos mais recentes do historiador Stanislav Kulchytsky, com base em fontes dos arquivos soviéticos, indicam um número entre 3 a 3,5 milhões de mortes. 


REFERÊNCIAS:

O HOLODOMOR, foi o Holocausto comunista que exterminou 7 milhões de Ucranianos entre 1932-1933. Disponível em < https://www.youtube.com/watch?v=svmAZEywtro >Acesso: 23 Set. 15.

Holodomor. Disponível em < https://pt.wikipedia.org/wiki/Holodomor > Acesso: 23. Set. 15.

Nazi-fascismo. Disponível em <http://www.suapesquisa.com/historia/nazi-fascismo.htm> Aceso: 23 Set. 15.

Nazismo, Comunismo e Fascismo - Os regimes totalitários : Videoaula. Disponivel em< https://www.youtube.com/watch?v=65rC_6FrJD4> Acesso: 23 Set. 15.


Comentários

  1. Quando iniciei minha pesquisa diletante acerca da origem do cristianismo, eu já tinha uma ideia formada que pode parecer esdrúxula: a perseguição aos judeus. Portanto, nada de Bíblia, teologia e história das religiões. Todos os que haviam explorado esse caminho haviam chegado à conclusão alguma. Contidos num cercadinho intelectual, no máximo, sabiam que o que se pensava saber não era verdade. É isso o que a nossa cultura espera de nós, pois não tolera indiscrições. Como o mundo não havia parado para que o Novo Testamento fosse escrito, o que esse mesmo mundo poderia me contar a respeito dessa curiosidade histórica? Afinal, o que acontecia nos quatro primeiros séculos no mundo greco-romano, entre gregos, romanos e judeus? Ao comentar o livro “Jesus existiu ou não?”, de Bart D. Ehrman, exponho algumas das conclusões as quais cheguei e as quais o meio acadêmico de forma protecionista insiste ignorar.

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ALIMENTAÇÃO DOS TEMPOS BÍBLICOS

RESENHA DO FILME TERRA VERMELHA

RELIGIOSIDADE NA ERA PALEOLÍTICA/NEOLÍTICA